domingo, 7 de dezembro de 2008

Tão perto, e ainda tão longe esta


“Tão perto, e ainda tão longe esta...”

Você não vê agrade que nos separa. É a grade inescrupulosa do destino. Quem consciente da pequeneza humana teria a coragem de dizer que podemos ultrapassar essa grade. Nos vemos por entre as frestas, nos tocamos na ponta dos dedos. Nossas palavras são claras e distintas e isso é o mais frustrante, pois sabemos o quão perto estamos.

(...)

Não conhecemos o longo gradeado que nos separa. Temos medo de ir procurar uma passagem pela grade, quem sabe até mesmo um portão no destino, e não encontrando não nos encontrarmos mais também. Esse comodismo nos assola. Eu pensei em pular a grade, cavar o chão, quebrar o muro do destino. Você ficou receosa da punição, mais uma vez ficou com medo da eterna separação.

(...)

Começo a desconfiar que você não gosta realmente de mim. E isso nos afasta cada vez mais. Quando você percebe que já não te freqüento com tanta periodicidade tenta pular a grade. Consegue. E do outro lado me vê com um outro alguém. Si magoa e volta pro seu lado. Quando venho te visitar age naturalmente como se nada tivesse acontecido. Mi prefere distante a idéia de um dia não mais ter. É ai que você erra. Eu queria ti ter por segundos e lembrar o resto da vida o quanto foi bom.

(...)

Você é bicho escaldado, se me aproximo demais você foge, se me aproximo de menos você também foge. E nessa tênue linha vou te perdendo tenuamente até um dia não mais te querer. E você triste virar pra mim e falar que nunca quis me querer.

“Tão perto, e ainda tão longe esta...”


Imagem de William-Adolphe Bouguereau

4 comentários:

Lola disse...

o homem cria barreiras imaginárias para se proteger..
..é preciso não somente tocar as pontas dos dedos..mas sentir os braços, o cheiro, o calor,e a alma d quem está do outro lado(mesmo q por pouco tempo)...nessa hora tudo se clarifica...tudo se torna mais fácil quando ambos se conhecem...

Ailatan Do Contrario disse...

Eiii, de onde saiu essa frase inspiradora??
huahauauh
depois q me contar eu comento...
hauaua
bjooo minha compatibilidade literária!

Ailatan Do Contrario disse...

Agora posso me pronunciar...rsrs

as vezes as grades não estão para nos proteger do que está do lado de fora, mas para nos proteger do q está dentro de nós...

essa frese diz mais do que parece dizer...mas nós sempre nos privamos da proxímidade pois ela tanto nos permite desfrutar melhor de algo mas tbm nos deixa vuneráveis...

gosto de ler-te!!
gosto de ver-te!!
gosto de ter-te!!
Compatibilidade literária!!

Ailatan Do Contrario disse...

essa é a musica:

Ao te abraçar,
Deixei o mundo pra trás.
A música se faz,
Só pra nós dois.

Aqui, tão perto,
Posso ver você,
E assim, me sinto viver.

Deixei a vida,
Levar os sonhos meus.
A eles disse adeus,
Sem perceber

Aqui, esperando,
Perto de você
Enfim, consigo saber,
Tudo o que eu quero
Agora é estar

Aqui, tão perto,
De um final feliz.
Assim, tão certo,
Do que eu sempre quis.
Nós dois chegamos
Tão longe sem querer,
E então, estamos tão perto.

Seguir minha vida,
Não vou saber,
Se acaso eu te perder.

Pois aqui, tão perto,
De um final feliz.
Assim, tão certo,
Do que eu sempre quis

Talvez seja um sonho...

Tão perto, e ainda, tão longe está.